12 de fevereiro de 2011

População comemora 1º dia sem Mubarak

Presidente do Egito renunciou na sexta-feira após 18 dias de protesto; militares começam a retirar barricadas

Fonte: ig.com

 
No dia seguinte à renúncia do presidente Hosni Mubarak, milhares de egípcios continuam celebrando após uma longa noite de euforia durante a qual as frases mais ouvidas foram "liberdade" e "viva o Egito".

Na praça Tahrir, ponto principal de concentração dos protestos iniciados em 25 de janeiro, centenas de pessoas continuam acampadas neste sábado. O Exército egípcio começou a retirar as barricadas dos acessos à praça, removendo carros queimados que serviam de barreiras. As Forças Armadas mantêm tanques e veículos blindados nas ruas, principalmente em frente aos prédios do governo e de outras instalações importantes.
No primeiro dia sem Mubarak depois das três décadas que o líder ficou no poder, vários egípcios agitaram a bandeira do país e não ocultaram a felicidade e a esperança pelo começo de uma nova era.
O acampamento montado no centro da praça, na qual pernoitam várias pessoas há duas semanas, ainda não tinha sido levantado no começo da manhã deste sábado. A intenção é retirar as tendas hoje, mas muitos preferem aguardar para ouvir o próximo comunicado das Forças Armadas, segundo relatos obtidos pela agência de notícias Efe.
 
Na manhã deste sábado, pai pinta bandeira do Egito em rosto de menina, na praça Tahrir, epicentro das manifestações opositoras no Cairo
Foto: AP
Na manhã deste sábado, pai pinta bandeira do Egito em rosto de menina, na praça Tahrir, epicentro das manifestações opositoras no Cairo


Exército
O Conselho Supremo das Forças Armadas do Egito, que assumiu o poder político do país após a renúncia de Mubarak, reduziu o toque de recolher no país. A medida em vigor no Egito começará quatro horas mais tarde, à meia-noite local (20h de Brasília), e não mais às 20h local (16h de Brasília). O toque de recolher continuará expirando às 6h local (2h de Brasília).
Neste sábado o Conselho também se comprometeu a cumprir com "todos os acordos e tratados regionais e internacionais" assumidos pela nação, de acordo com anúncio feito pelo o porta-voz da entidade.
* Com informações da BBC Brasil e da EFE

Um comentário:

  1. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir